Criador oliveirense Luís Onofre dá a cara na primeira exposição temporária do Museu do Calçado0 Comentários

Por azemeis.com
Notícia submetida em 10 Nov 2016 às 2:29

O estilista oliveirense Luís Onofre foi escolhido para ser o autor da primeira exposição temporária do Museu do Calçado, inaugurado recentemente em São João da Madeira.

calçado Luis Onofre

O criador natural de Oliveira de Azeméis é uma das grandes referências na indústria do calçado em Portugal e a ele coube abrir o ciclo de exposições temporárias do novo museu que vem fazer companhia ao Museu da Chapelaria, inaugurado em 2005.

A exposição, intitulada “Luís Onofre. Uma história de paixão, herança e trabalho duro”, retrata a vida e a obra do criador oliveirense que desenhou mais de 20 mil pares de sapatos desde o início da sua carreira. Com a primeira exposição temporária o Museu propõe “uma viagem ao passado e presente de um dos mais reputados designers de sapatos português”.

Com uma carreira de 17 anos, Luís Onofre é herdeiro da história e património da fábrica “Calçado Onofre” que, em 1939, a sua avó, Conceição Rosa Pereira, toma em mãos após o falecimento prematuro do marido.

Com a empresa nas suas mãos, Luís Onofre cria, em 1999, a marca “Luís Onofre” e desde então calçou milhares de pés anónimos em todo o mundo. Mas calçou também alguns pés muito famosos, de princesas, atrizes e ícones culturais e sociais.

A mostra de Luís Onofre pode ser vista entre terça e sexta-feira das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 18h00 e aos sábados entre as 10h00 e as 13h00 e entre as 14h00 e as 18h00. O museu está aberto ainda aos domingos e feriados entre as 10h30 e as 12h30 e entre as 14h30 e as 18h00.  Instalado na antiga Torre da Oliva, o Museu do Calçado encerra às segundas-feiras.

O edifício passou a ter mais uma atração com a abertura do novo espaço que pretende ser uma referência no espaço museológico do país.

O Museu, que custou um milhão de euros, acolhe quase 9 mil peças ligadas à indústria do calçado, encontrando-se em exposição mais de 500 sapatos de várias épocas

“O Museu do Calçado surge de forma inovadora no panorama museológico nacional ao retratar a memória da indústria do calçado em S. João da Madeira e a realidade do design de calçado em Portugal no século XX, apontando ainda caminhos da vanguarda tecnológica e criativa do século XXI”, lê-se no site do Museu.

Ainda segundo os seus responsáveis “mais do que uma mera exposição de artefactos, o Museu do Calçado é um espaço de aprendizagem, criatividade e experimentação que exigirá ao seu visitante uma postura interativa e de questionamento permanente”.

Até ao final do ano os visitantes não pagam para visitar o Museu do Calçado, passando as entradas a ser pagas a partir de Janeiro de 2017.

Ler também