Alunos de Oliveira de Azeméis vão ter Orçamento Participativo Municipal0 Comentários

Por azemeis.com
Notícia submetida em 04 Jan 2017 às 3:44

O I Orçamento Participativo Municipal de Oliveira de Azeméis, direcionado às escolas, vai envolver os cinco agrupamentos do município e será “o pontapé de saída para o seu alargamento a outras áreas”, afirmou o presidente da autarquia, Isidro Figueiredo.

IMG_4757

O projeto foi apresentado esta manhã na escola básica e secundária Ferreira de Castro seguindo-se até esta sexta-feira a sua apresentação nos restantes quatro agrupamentos.

Terminada esta fase, o processo inclui a apresentação e a análise técnica de propostas, a votação dos projetos e a divulgação pública dos vencedores, num processo que deverá ficar concluído até 16 de maio, coincidindo com a realização da Assembleia “Políticos de Palmo e Meio” e as comemorações do aniversário da cidade.

No primeiro ato público como presidente da autarquia e acompanhado de José Mesquita, delegado regional de Educação da região norte, Isidro Figueiredo apelou “à participação de toda a comunidade educativa no projeto” com o qual se pretende o exercício ativo dos alunos na elaboração e execução de projetos para as suas escolas mediante os recursos existentes.

“Este é um desafio em que nos vamos empenhar todos para termos sucesso”, disse o autarca, anunciando ter sido criada uma plataforma digital que irá permitir a divulgação e o acompanhamento dos projetos bem como a votação eletrónica nos mesmos.

O Orçamento Participativo de Oliveira de Azeméis destina-se a incentivar o diálogo e a interação entre alunos, pessoal docente e não docente, pais, encarregados de educação e técnicos municipais na procura das melhores soluções para as necessidades das escolas de acordo com os recursos disponíveis.

O projeto, dotado com uma verba de 25 mil euros, foi anunciado em 2016 durante a realização da Assembleia “Políticos de Palmo e Meio” e tem como alvo todos os alunos do 1º ao 12º ano de escolaridade do concelho apelando à sua participação cívica na identificação de problemas, propostas de solução e definição dos respetivos orçamentos.

Os alunos podem concorrer com propostas nas áreas da educação e formação, ação social escolar, promoção do sucesso escolar, empreendedorismo, inovação, ambiente, sustentabilidade, cultura, património, desporto, lazer, cidadania, solidariedade e tecnologias de informação e comunicação.

A execução dos projetos tem um prazo máximo de 12 meses.

Ler também